Poetagem no seu e-mail!

À flor da pele

Senti fome, comi
frio me cobri
senti sede, bebi
tudo que fiz foi assim
sempre o ato


tive sonhos, sonhei
tudo a base do impulso... o instinto

todas as vezes que pensei... errei
corri mundos a navegar, naufraguei
inspirei contra o poder, fracassei

tenter bater o penalty, chutei pra fora
investi no futuro, parei no agora

vislumbrei plantar uma árvore, asfaltaram meu quintal

assim, então, por isso, por causa que, blá blá blá blá
data vênia...

tornei-me poeta.

Kleber Pedrosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário